Grafo Audiovisual

Rua Celestino Junior 163
Curitiba | Paraná | Brasil

+55 41 3095-0608

O projeto de longa metragem O Homem que matou a minha amada morta foi apresentado no pitching do Morelia Lab 2011. O evento ocorreu de 16 a 22 de outubro e contou com a presença de 27 produtores latino americanos que estavam desenvolvendo a produção de seus segundos longa metragens. Mais uma vez nosso projeto foi o representante brasileiro em um encontro latino americano, o que já havia ocorrido no Ibergente – Encontro de Co produção de Quito-Equador. O laboratório em Morelia ocorreu simultaneamente ao Morelia Film Festival que vem se confirmando como o principal evento de cinema mexicano. Abaixo, Antônio Junior apresenta o projeto aos participantes do Morelia Lab 2011.

Comentar //

O longa metragem “O homem que matou a minha amada morta” representado pelo seu produtor Antônio Junior foi selecionado para o Morelia Lab 2011, dentre os 12 participantes da América Latina! O Morelia Lab é uma ação simultânea ao 9o. Morelia International Film Festival que ocorre de 15 a 23 de outubro de 2011. Esse é o segundo laboratório que o projeto é apresentado, sendo o primeiro em maio no encontro de co-produção Ibergente no Equador. Assim, o Homem que matou minha amada morta está ficando cada vez mais conhecido como El hombre que mató a mi amada muerta!

Site do festival: http://www.moreliafilmfest.com

Comentar //

O projeto de longa metragem “O homem que matou a minha amada morta” (direção de Alysson Muritiba e produção de Antônio Junior e Marisa Merlo) foi selecionado para a II OFICINA-ENCONTRO IBERO-AMERICANA DE ESCOLAS DE CINEMA.

O evento ocorre de 01 a 08 de maio na cidade de Quito com atividades diárias, tendo em vista o aprimoramento do roteiro e a busca de co-produções internacionais.

Os projetos de longas metragens desenvolvidos por alunos e que já contassem com produtor, foram apresentados por faculdades de cinema de países de Língua Ibérica, e dentre os nove escolhidos está o projeto O homem que matou a minha amada morta, escrito por Aly Muritiba. O projeto é o representante brasileiro a participar do encontro que reúne três projetos do Equador, e oito de outros países: Colombia (Unitec), Perú (PUCP), Bolivia (La Fábrica), Argentina (ENERC), Uruguay (ECU), Brasil (FAP), Cuba (EICTV), Espanha (ESCAC).

Comentar //